segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Grão a Grão…

Lá diz o ditado: “grão a grão, enche a galinha o papo…” . Neste momento é o que sentimos por um lado, porque á medida que vamos concretizando tarefas, a recuperação da sala vai somando etapas cumpridas, mas por outro, estamos na fase do “só”: “só falta isto, só falta aquilo”…
Nem quero falar do telhado, porque já enjoa: o S. Pedro definitivamente não está do nosso lado… Como no feriado de 15 de Agosto conseguimos acabar de telhar, faltando acabar os remates laterais e o beirado na parte mais alta, o que envolve fazer cimento e acartá-lo lá para cima, decidimos que seria uma tarefa de fim de semana, porque estamos os dois. No entanto, sempre que chega o fim de semana, chove. Assim não dá! Mais uma vez, ficou adiado o trabalho no telhado.
Virámo-nos então para o chão da sala. O chão tem 3 desníveis, um que o Carlos já fez com pedra e lajes e outros dois que são para forrar com tijoleira rústica. Como já tínhamos comprado tijoleira, no Sábado à tarde iniciámos a colocação. É muito mais fácil fazer com cimento do que com aquela massa toda xpto, que custa o olhos da cara. O único senão foi que acabámos com a areia que existia e, para os remates finais e juntas, tivemos que ir roubar a dita ao vizinho… Ficámos estoirados, mas valeu a pena: para nós, que gostamos muito de coisas rústicas, está lindíssimo e exactamente como imaginavamos. O contraste entre a pedra da parede, os degraus e a madeira é fenomenal.  Agora que “só” (lá está…) falta tratar e encerar, até consigo "ver" a decoração que pensei lá pôr…

Durante a semana o Carlos foi fazendo alguns “sós” … A alegria dele quando me ligou a dizer: “Meninha, temos luz na sala!”. Com a ajuda do Francisco, passou os cabos eléctricos dentro dos tubos, aplicou as tomadas e os interruptores e … FEZ-SE LUZ! O nicho, que inicialmente era para ser uma porta mas que correu mal, tem um foco que o embeleza imenso. Agora “só” falta pôr os candeeiros  e os projectores…
Na mezaninne o chão está concluído. Quais são os “sós” que faltam? “Só” falta acabar a parte eléctrica, “só”  falta dar o produto da bicheza na madeira do tecto e no chão (já iniciei a aplicação mas ia morrendo, porque, ignorando os avisos do Carlos, não pus mascara, esqueci de abrir a janela e inspirei os vapores…), “só” falta envernizar as pedras, “só” falta envernizar as madeiras, “só” falta pintar… Ele é muito “só” junto…
No meio deste pó de cimento, pedras e tijolos, areia e afins, apanhei um valente susto, porque um camião de cimento (é sina…) veio contra o meu carro. Diz o condutor que ficou sem travões. Resultado: o Polo tem a lateral do lado do condutor bastante maltratada. Pelo estrondo que ouvi  no embate, pensei que fosse pior, mas do susto ninguém me livra. CHIÇA! Pensei que ir virar estátua de cimento… Por outro lado, tornei-me a estrela da terra naquele dia: veio tudo às janelas, portas e postigos e claro vieram também os que gostam de tirar as medidas e dar opinião… Agora brinco, mas quando saí do carro e durante bastante tempo, tremia que nem “varas verdes”.
E como se dizia em Almeirim:  “vamos lá ao resto, oh gulosos…” 
É o que vamos fazer…

Beijos
Mena e Carlos

1 comentário:

  1. Brutal, descobri este blog tarde, mas é muito bem vindo.. Parabéns

    ResponderEliminar